"Não fostes vós que me escolhestes, mas eu vos escolhi e vos constituí para que vades e produzais fruto, e o vosso fruto permaneça. Eu assim vos constituí, a fim de que tudo quanto pedirdes ao Pai em meu nome, ele vos conceda."João 15,16

Seguidores

segunda-feira, 24 de setembro de 2012

As leituras da Catequese

 “Como posso entender, se ninguém me explica”(At 8,31). 

A Catequese é o lugar do esclarecimento bíblico. A nossa intenção tem que ser a de ajudar na compreensão da Escritura, numa maneira mais fiel possível sem deixar que isso impeça a Palavra de entrar na vida dos catequizandos. Existem alguns instrumentos e pistas de leituras, tais como: leitura existencial, afetiva, contemplativa, espiritual, orante, militante e transformadora 
 
 
Existencial: A Palavra tem que dizer algo a vida, ao momento, a nossa existência, não pode ser algo descolado da realidade, uma coisa espacial, difícil de ser vivida. Somos sujeito na história. Por isso, nossa leitura tem que mexer, iluminar e dar força ao ouvinte e aquele que reflete conosco. A Bíblia apresenta a maneira mais autêntica de viver a existência humana (Mc 8,35-38). 

Afetiva: A leitura não pode ser insensível ao nosso sentimento, emoção, opção, ao nosso corpo. Nós somos um todo. O mais importante é o coração e não a razão. A palavra coração aparece 865 vezes na Bíblia. A razão e o coração não se excluem, mas, exigem-se. A razão é importante, mas como serviço ao coração, para purificar, selecionar, articular, aprofundar, organizar melhor sentimentos e emoções (Mc 7,14-23). 

Contemplativa: Escutar o texto, transformando-o em cena viva é muito importante. Ver a vida, as pessoas, situações concretas, gritos, derrotas, sonhos, projetos, clamores que estão por trás do texto. Não importa só falar sobre o texto, é preciso deixar o texto falar por ele mesmo, e em nós. É a mesma atitude de Maria: aos pés de Jesus, escutando e aprendendo (Lc 10, 38-42). 

Espiritual: Ler com fé. Acolher e sentir a presença de Deus. Presença que ama e liberta, que ressuscita e faz caminhar. Tem que ser movida pelo Espírito Santo: “O Espírito ensinará a vocês todas as coisas e fará vocês se lembrarem de tudo o que eu lhes disse”(Jo 14,26;16,12-15). Para quem crê a Bíblia é um livro totalmente diferente dos outros (II Tm 3,16; Hb 4,12). 

Orante: A verdadeira leitura dos textos sagrados sempre desemboca na oração. Oração é amor, entrega, gratuidade, doação e encontro. Orar com a Palavra é entrar em intimidade profunda com o Rosto de Deus. Estudo e oração da Bíblia se abraçam, exigem-se. Nas primeiras comunidades, escutavam a Palavra de Deus pelo testemunho dos apóstolos e oravam em seguida (At 2,42). 

Militante e transformadora: A Palavra é Verdade, e isso leva ao compromisso, a um exercício concreto. Arranca-nos da hipocrisia e nos afasta das ambiguidades. “Não basta dizer Senhor, Senhor, mas fazer a vontade de meu Pai”(Mt 7,21). Não é uma prática qualquer que Jesus e sua Palavra querer de nós, mas sim uma prática transformadora, tanto na nossa vida como no âmbito comunitário. “Convertei-vos!” é um dos gritos que mais ecoa na Bíblia (Dt 30,10; Os 14,2; Is 31,6; Jr 3,14; Ez 14,6; Zc 1,4; Mt 4,17; Mc 1,15). 

Queridos Catequistas, minha intenção não foi opinar ou interferir na sua exegese ou hermenêutica, seria muita pretensão e falta de respeito, mas sim dar uma pequena contribuição neste mês da Bíblia a vocês, meus amados e amadas. 

Caminhem pelo mundo bíblico! Encontrem a Vida e a Verdade da Bíblia! Que vocês tenham e deem uma experiência profunda com o verdadeiro Rosto de Deus da vida e da liberdade. 

Encontramo-nos na Eucaristia e na oração! 

Seminarista Alex Sandro Serafim. 

Um comentário:

Edite disse...

" Queridos Catequistas, minha intenção não foi opinar ou interferir na sua exegese ou hermenêutica, seria muita pretensão e falta de respeito, mas sim dar uma pequena contribuição neste mês da Bíblia a vocês, meus amados e amadas".
Ótimo texto Patrícia, bastante informativo e esclarecedor. Uma excelente contribuição, tenha certeza.