"Não fostes vós que me escolhestes, mas eu vos escolhi e vos constituí para que vades e produzais fruto, e o vosso fruto permaneça. Eu assim vos constituí, a fim de que tudo quanto pedirdes ao Pai em meu nome, ele vos conceda."João 15,16

Seguidores

sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Importância do Catequista para a sociedade atual

“O Catequista é, pois, o leigo engajado na missão de mostrar ao mundo contemporâneo que Cristo, caminho, verdade e a vida, é a única solução para que o homem de hoje tenha unidade consigo mesmo e dê um sentido final a sua vida, muitas vezes palmilhada por sofrimentos e dores”                                    (cf. Gaudium et Spes).

Como cristão que sou, e uma das dimensões valorativas do cristão é a gratidão, nesse último artigo do mês de agosto, não poderia deixar de render minha homenagem aos queridos Catequistas. A Igreja, a sociedade, a família tem uma dívida impagável para com estes homens e mulheres que doam um pouco de seu tempo a mostrar, promover e experenciar encontros de nossas crianças, jovens e adultos com Jesus.
A Igreja deve a Catequese todo o seu passado, e lembro aqui a importância do catecumenato na igreja primitiva, que iniciava e difundia a fé de Jesus Cristo. E como era difícil catequizar naquele tempo, por causa do risco do martírio, das perseguições, a exclusão da sociedade, o risco de perder a liberdade por ensinar uma fé proibida. Quantos catequistas morreram e ainda morrem na Amazônia, na China, no Oriente Médio, na África. No presente da Igreja como os Catequistas levam no peito a evangelização. Sem ambientes adequados, sem material, sem apoio do clero, da comunidade, da família, dos próprios catequizandos. Mesmo, muitas vezes com a falta de sentido vão a luta, não se cansam, cumpre religiosamente o seu ministério, e tem um amor invejável pela messe, que dá inveja a muitos bispos, padres, seminaristas, religiosos e consagrados. E o futuro da Igreja está nas mãos desses trabalhadores da fé!
No rito do Matrimônio, uma das interrogações do Sacerdote aos noivos é esta: “Estais dispostos a receber com amor os filhos que Deus vos confiar, educando-os na lei de Cristo e da Igreja?”, e os noivos dizem: “Sim”, mas é uma pena que na realidade isso não acontece. E essa “educação” é assumida pelo Catequista. Felizmente, e digo isto de “boca cheia”, temos os Catequistas para salvar, naquilo que podem a família. A família deve sim, e muito, a Catequese. Os ministérios ordenados devem sim! Muitos aos Catequistas. A minha vocação foi ajudada a se desenvolver por meu chamado a ser Catequista.
Para vencer está sociedade culturalmente hedonista, consumista, injusta, sem qualquer espiritualidade, individualista, violenta, sem respeito pelo ser humano, precisamos da Catequese para nos ajudar. O homem precisa se encontrar, ainda mais na sua divisão interior, na sua falta de sentido, preso as cadeias da existência. A importância do Catequista é a sua linguagem menos clerical e a sua proximidade com as pessoas. O Catequista pode abordar o homem de hoje, entender seus problemas e indicar um caminho de paz, serenidade, amor e alegria de viver. Mas, o Catequista também tem um grande compromisso: de ser fiel a integralidade da mensagem de Cristo e da sua Igreja.
Queridos Catequistas, vocês merecem todas as homenagens e honras. Aceitem com humildade os dons, carismas e frutos que o Espírito Santo vos confiou. Contem sempre com a oração da Igreja. E mostrem sempre o rosto bonito de Jesus Cristo as pessoas. Rezem para que Deus sempre envie bons e santos Catequistas para a comunidade catequética.
Meus Parabéns!!!
Encontramo-nos na Eucaristia e na oração.
Seminarista Alex Sandro Serafim

Um comentário:

Sheila Jorge disse...

Oi amiguinha
vim matar a saudade...
obrigada pela linda mensagem.
Deus te abençoe!
beijinhos e fique na paz do Senhor.