"Não fostes vós que me escolhestes, mas eu vos escolhi e vos constituí para que vades e produzais fruto, e o vosso fruto permaneça. Eu assim vos constituí, a fim de que tudo quanto pedirdes ao Pai em meu nome, ele vos conceda."João 15,16

Seguidores

domingo, 8 de julho de 2012

Catequese e a Natureza

                                         
“No princípio, Deus criou os céus e a terra”(Gn 1,1).

O homem recebeu de Deus a incumbência de governar, usufruir, guardar e proteger a natureza. A natureza está ao nosso serviço como nós estamos ao seu serviço. A Catequese tem um papel importante nesse processo, como instrumento de conscientização ético e politico de proteção à natureza. E sabemos como as crianças e os jovens são solícitos e sensíveis a esse tipo de evangelização que tem como ideal a proteção da natureza e dos animais.
Nos final do mês passado realizou-se a RIO 20 e a Cúpula dos Povos onde se discutiu as mudanças climáticas e Justiça Social. Em muitos debates foi reafirmado que a grande responsabilidade pelo aquecimento global e consequentemente pelas mudanças climáticas, recai no modelo de desenvolvimento de nossa sociedade atual, modelo este que possui como um dos seus fundamentos a economia capitalista.
Hoje, fala-se de uma “economia verde” como solução para o problema da natureza, mas isso é apenas uma “nova roupagem”, a fome pelo poder e a devastação criminosa continua de forma inescrupulosa e animal. A economia verde não passa, na realidade, de uma estratégia do capitalismo para continuar sua acumulação e expansão a partir da tentativa de tratar a natureza como uma espécie de “capital natural”, colocando preço em todos os serviços que plantas, animais e o ecossistema como um todo oferecem à humanidade de forma gratuita. É a “precificação” da natureza, e isso já acontece principalmente com a água, que sendo dom da natureza, é nos cobrada.
 A Catequese tem que fazer seu papel profético na comunidade. Mais como? Promovendo debates com órgãos de proteção ambiental, vigiando as empresas da comunidade, promovendo passeatas a favor da natureza e dos animais, plantio de árvores, visitação de conscientização, promover e ensinar a comunidade a fazer a seleção do lixo, promover mutirão de limpeza em rios, ruas e praças...
Muitos podem pensar ser pouco, mas é no pouco de cada um que as grandes coisas acontecem. E nós como cristãos, como Igreja, Catequese temos que dar nosso testemunho. Deus perdoa sempre. O homem perdoa de vez enquanto. Mas, a natureza não perdoa nunca.
Que Deus nosso Pai que nos criou-nos de força para proteger com justiça a nossa natureza, e que a Rainha do céu e da terra proteja com seu manto azul o nosso planeta azul.
Encontramo-nos na oração e na Eucaristia.
Sem. Alex Sandro Serafim.

Um comentário:

Beatriz Pereira disse...

Boa noite Patrícia!!!
Vim agradecer ao seu apoio em meu novo blog.
Deus lhe abençoe sempre.
Bjokas...da Bia!!!
http://pequenosgrandespensantes.blogspot.com.br/