"Não fostes vós que me escolhestes, mas eu vos escolhi e vos constituí para que vades e produzais fruto, e o vosso fruto permaneça. Eu assim vos constituí, a fim de que tudo quanto pedirdes ao Pai em meu nome, ele vos conceda."João 15,16

Seguidores

domingo, 11 de dezembro de 2011

Palavra do Seminarista:Origem da Festa do Natal

“Dizei: vós que estais desanimados, tende ânimo, coragem! Não temais! Eis que vem o Senhor e nosso Deus!” (Antífona do Cântico evangélico das Laudes, da 2ª semana do Advento).
  
É preciso para compreender o Natal do Senhor, fazer uma breve contextualizaçãohistórica da origem desta solenidade. Na igreja primitiva, o início do ano litúrgico não partia no nascimento de Cristo, ou seja, de sua encarnação, mas na fé fundamentada em sua ressureição. Por isso a festa mais antiga da cristandade não é o Natal, mas a Páscoa.A ressureição de Cristo funda a fé cristã, está na base do anúncio do Evangelho viver de modo pascal.
Hipólito de Roma, por volta de 204 d.C., foi o primeiro que afirmou com clareza que Jesus nasceu a 25 de dezembro, num comentário que fez do livro do profeta Daniel. A força da igreja nascente, com sua profecia, imprimia uma nova cultura cristã, e por causa disso, santificavam tudo o que era paganizado. Era à força de transformação do anúncio de Jesus. Por isso, a festa de Natal assumiu sua forma definitiva somente no século IV, quando a festa santa substituiu a festa romana pagã do “Sol invictus”, o sol invencível. Agora o sol invencível é Jesus: Luz das Nações! A evidência agora é o nascimento de Jesus, que é a vitória da verdadeira luz sobre as trevas do mal e do pecado.
Como hoje em nossa Catequese, naquele tempo para evangelizar, precisava-sesimbolizar esse momento lindo da encarnação de Jesus. Então, Santa Helena, mãe e principal influência na conversão do imperador Constantino, criou o primeiro presépio.
 A palavra presépio significa “um lugar onde se recolhe o gado, curral, estábulo”. Se Santa Helena fez a primeira representação plástica, vamos assim dizer do Presépio; na Idade Média, foi São Francisco de Assis quem fez a primeira encenação teatral em 1223. Francisco levou para uma gruta um boi, um burrinho, feno verdadeiro e completou com as imagens do Menino Jesus, Virgem Marai e de São José. Com isso o presépio ficou mais humano, levando o povo de Assis a vivenciar com mais realismo aquele lindo momento.
Hoje na Catequese precisamos mostrar para nossos Catequisandos a grande contradição que o nascimento de Jesus nos apresenta, principalmente, que a suapresença e a sua salvação não estão nas certezas humanas, na falsa segurança, na prosperidade desumana, nos bens materiais, nas coisas luxuosas, nos valores distorcidos, no relativismo religioso, na cultura doentia do eu, na apologia a libertinagem, no consumismo e nas alegrias momentâneas. A verdadeira salvação acontece quando deixamos Deus ser Deus em nossa vida. Quando deixamos que Ele nasça e sobreviva dentro de nosso coração.
Para realmente notar o nascimento do Menino Jesus: precisamos ser mais simples e viver na simplicidade. Que o a Luz da vida verdadeira ilumine nossos passos!


Encontramo-nos na oração!
Seminarista Alex Sandro Serafim


Um comentário:

Verginia//Lurdes disse...

Olá querida, muito lindo seu blog. Quando der dá uma passadinha no meu tb, http://www.catebrincando.blogspot.com/
Deus te ilumine sempre, bjs Lurdes