"Não fostes vós que me escolhestes, mas eu vos escolhi e vos constituí para que vades e produzais fruto, e o vosso fruto permaneça. Eu assim vos constituí, a fim de que tudo quanto pedirdes ao Pai em meu nome, ele vos conceda."João 15,16

Seguidores

terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Catequese e Quaresma: Caminhos para a vida

“A fé na ressurreição de Jesus significa que há futuro para cada homem” (Papa Bento XVI).

Começou o ciclo mais importante para a Igreja: o Ciclo da Páscoa. Esse ciclo começa na Quarta-feira de Cinzas e termina na Quinta-feira Santa. E chamamos de Quaresma, porque são quarenta dias de caminhada do povo de Deus pelo deserto. Mas, não é um caminho para morte, um caminho vazio, sem sentido. Pelo contrário é um caminho para vida, para a vitória, para a conversão. E essa conversão é diária, processual. A conversão começa no nascimento e vai até a morte. Ouvimos muito a expressão errônea: “Estou convertido” ou “me converti”, como uma coisa estagnada, parada, sacramentada, que não precisa mais de luta, de oração, penitência, de Kenosis[1]. Sem esse caminho, não chegaremos ao Sábado Santo e cantarmos aleluia. E também no Domingo da Ressurreição e dizer: Jesus está vivo! E eu também!
Fundamentada na Palavra de Deus, a Igreja nos dá três instrumentos para nossa caminhada, que são: oração, jejum e esmola. A nossa oração tem que ser bíblica, porque durante nossa peregrinação seremos tentados pelo demônio. E como nas Escrituras, o maligno tentou Jesus pela Palavra de Deus. Por isso, nossa oração de Catequista tem que ser uma oração profética e que nasça da intimidade com a Palavra de Deus. O jejum do Catequista não pode ser somente um jejum de carne como faziam os fariseus. Mas, um jejum do pecado, jejum espiritual, que promove a vida. A esmola não pode ser uma limpeza do guarda-roupa como faz muito de nós. Não é dar ao outro lixo, coisas que não prestam, mas sim, dar o nosso melhor. Nosso tempo numa visita a um doente, idoso, a uma pessoa sofredora.
A Catequese tem uma oportunidade de ouro no tempo quaresmal. Aproveitando a religiosidade popular promover ações de evangelização com as crianças, jovens e suas famílias. Por exemplo: vigílias com os jovens, lucernários, procissões a favor da vida e contra as drogas, via-sacra com crianças e jovens, caminhada do silêncio pelos os jovens sofredores, encenações penitenciais, caminhada noturna das luzes pelas famílias, caminhadas penitenciais, celebrações penitenciais. Também, como a Campanha da Fraternidade trabalha a saúde, podem-se visitar doentes, acamados, hospitais, asilos. Os Catequistas são criativos, junto com os catequizandos podem bolar muitos outros jeitos de celebrar esse tempo de conversão, de silêncio interior, de fuga do pecado.
A comunidade catequética pode enriquecer-se muito com a nossa participação nas celebrações quaresmais. Podemos integrar os grupos bíblicos, grupo de jovens, liturgia, coroinhas, pastoral vocacional. Com isso, na certeza de uma vivência encarnada nesse tempo penitencial, no Domingo da Ressurreição celebraremos a vida.

Boa Quaresma e encontramo-nos na oração!
Seminarista Alex Sandro Serafim

Um comentário:

Ana Virgínia disse...

Vim te convidar a participar do Amigo Secreto de Páscoa do Blog Catequese e Partilha.

Um abraço.

Ana Virgínia

http://catequeseepartilha.blogspot.com/2012/02/amigo-secreto-de-pascoa.html