"Não fostes vós que me escolhestes, mas eu vos escolhi e vos constituí para que vades e produzais fruto, e o vosso fruto permaneça. Eu assim vos constituí, a fim de que tudo quanto pedirdes ao Pai em meu nome, ele vos conceda."João 15,16

Seguidores

terça-feira, 23 de agosto de 2011

Leitura Orante!


Para um compromisso sério com a sua caminhada, vocês, crian­ças, adolescentes e jovens missionários necessitam cultivar momentos profundos de espiritualidade. A experiência tem mostrado que as cri­anças e adolescentes são capazes de viver profundamente estes momentos.
No Brasil e na América Latina existe um jeito de fazer a Leitura Orante próprio dos "pequenos", dos pobres. Os pobres entende­ram que fé e vida caminham juntas. A Palavra de Deus é para tem­perar a vida.
A sabedoria para compreender as coisas de Deus é dada so­mente aos pequeninos, aos pobres. Por isso Jesus, muito feliz, dis­se: "(...) Eu te louvo, Pai, Senhor do céu e da terra, porque escon­deste essas coisas aos sábios e entendidos e as revelaste aos pequeninos. Sim, Pai, assim foi do teu agrado" (Lc 10,21).
Jesus comparou a Palavra de Deus a uma lâmpada. A lâmpada não é para ser olhada: devemos é olhar para o que a lâmpada está iluminando (cf. Mi 5,15). Assim também a Bíblia: foi feita para ilu­minar o chão de nossas vidas. Com a sua luz, saberemos o que deve ser "consertado", para sermos novamente conforme o sonho de Deus. Misturando Bíblia e Vida, os pobres viram refletida na Bíblia a vida deles e convenceram-se de que, como na época do povo da Bíblia, em que Deus ouviu o clamor dos pobres e cami­nhou lado a lado com eles, também hoje, por meio das Escrituras Sagradas, da vida e da comunidade, Deus continua falando.
As crianças e os adolescentes missionários, alimentados pela Leitura Orante da Bíblia, mostram que amam Jesus, fazendo o que Ele fez: empenham-se pela igualdade, justiça, fraternidade, a fim de que toda a riqueza do mundo seja partilhada e todos tenham uma vida digna.
A Leitura Orante da Bíblia é como um colírio: limpa os olhos embaçados, para que se comece a enxergar com os olhos de Deus. Não é um momento de estudo, nem um tempo para preparar um trabalho pastoral: é um momento de leitura da Palavra de Deus e de escuta do que ela nos diz pessoalmente, para melhor viver o Evangelho de Jesus.

Pontos que orientam a leitura orante pessoal da Bíblia e a mística que a deve animar:
1- Faça-se em mim segundo a tua palavra. O momento da Leitura orante da Bíblia não é um momento de estudo nem um tempo para realizar um trabalho pastoral, ou adquirir mais conhecimento. É, antes de tudo, um momento de ler a Palavra de Deus e escutar o que esta palavra tem a nos dizer para melhor viver o Evangelho de Jesus Cristo. Nesse momento é necessário ter a atitude que o velho Eli recomendou ao menino Samuel: "(...) Fala, Senhor, que teu servo escuta (...)" (1ºSm 3,9). Esta também foi a atitude obedien­te de Maria: "Faça-se em mim segundo a tua palavra” (Lc 1,38).

2 - Invocar o Espírito: É o momento em que se deve estar aberto à docilidade do Espírito Santo. Escutar Deus não depende da pessoa, mas Dele. É um momento de gratuidade por parte do Pai. Para isso é preciso um preparo vigilante na oração, no silêncio para des­cobrir o sentido que a Palavra de Deus tem para cada um, hoje.

3 - Criar um ambiente de recolhimento, que se torne o espaço sagrado. É o momento do silêncio. Lugar de recolhimento. Ler a Bíblia é como visitar um amigo. Os dois exigem o máximo de aten­ção, respeito, amizade, entrega e escuta atenta. Uma boa posição do corpo favorece o recolhimento da mente.

4 - Receber a Bíblia como Livro da Igreja. Ao abrir a Bíblia deve-se estar consciente que esse livro não é propriedade pessoal mas da comunidade. A leitura orante é o barco que nos conduz pelas curvas do rio até o mar. É luz que ilumina as noites escuras da vida. Mesmo que se esteja só realizando este momento de oração, esta­rão junto todos os que já fizeram esta experiência amorosa de Deus.

5 - Ter uma correta atitude interpretativa diante da Bíblia. Para isso deve-se estar atento a 3 passos ou atitudes:
1° Conhecer, respeitar, situar, ver o que o texto diz. Para isso é im­portante manter o silêncio, evitar que se leve o texto a dizer só aquilo que se gosta de escutar.
2° É o momento da meditação: ruminar, dialogar, atualizar. Pergun­tar-se: O que o texto diz para mim, para nós? Entrar em dialogo com o texto. Ligar o texto com a vida que a gente vive, com a realidade.
3° Oração: Suplicar, louvar, recitar. O que o texto faz dizer a Deus? É o momento de prece, de vigiar em oração. Chegou a hora de se responder a Ele.

6 - Colocar-se aberto à palavra para chegar à contemplação. Enxergar, saborear, agir. Contemplar é ter nos olhos algo da sabe­doria que leva à salvação; ver o mundo, a vida com os olhos dos pobres, com os olhos de Deus; excluir de si tudo o que vem do poder; saborear, desde já, algo do amor de Deus que supera todas as coisas; o amor de Deus se revela no amor ao próximo; dizer sempre: "faça-se em mim segundo a tua Palavra" (Lc 1,38).

7 - Procurar, por todos os meios, que a interpretação seja fiel. Para que o momento da oração não fique só na conclusão dos pró­prios sentimentos é necessário levar em conta três exigências:
1ª O resultado da oração deve ser confrontado com a fé da Igreja, isto é, com a fé da própria comunidade.
2ª Confrontar com a realidade da vida em que se vive. Estar atento à fé da Igreja. O fraco resultado da oração é consequência de uma não atenta escuta da voz de Deus.
3ª Confrontar sempre o resultado da oração com a exegese. A leitu­ra orante não pode ficar parada na letra. Deve procurar o sentido do Espírito (2Cor 3,6).


8 - Imitar o exemplo de Paulo. São Paulo dá os seguintes conse­lhos:
1° A palavra foi escrita para a nossa instrução (1ºCor 10,11).
2° Voltar o olhar para Jesus Cristo, pois só com Ele cai o véu e a escritura se revela como sabedoria que leva à salvação.
3° Paulo fala de "Jesus Cristo Crucificado", "escândalo para uns e loucura para outros" (2ºCor 2,2; 1ºCor l,21s). Foi Ele que abriu os olhos para perceber a Palavra viva no meio dos pobres.
4° Misturar o eu e o nós, nunca só o eu e nunca só o nós!
5° Ter presente os problemas: pessoais, familiares, comunitários, da Igreja, do povo, das comunidades.

9 - Descobrir na Bíblia o espelho do que vivemos hoje. Ter pre­sente que o texto que se leu não é só uma janela por onde se olha para saber o que aconteceu no passado; é também um espelho, para ver o que acontece com a gente, hoje.

10 - Interpretar a vida com a ajuda da Bíblia. Na leitura orante da Bíblia, o objetivo último não é interpretar a Bíblia, mas interpretar a vida. Celebrar a palavra viva que Deus fala hoje na vida de cada um, na vida do povo, na realidade do mundo em que se vive.
Fonte:Net



2 comentários:

Renata Schmitz Furlan disse...

Oi Patty amada! Amei o material sobre a leitura orante! Muito bom mesmo. Olha, entra nesse blog aqui http://www.layoutparablog.com/ e revira ele de cabo a rabo ...rs... tem um monte de dicas e coisas legais pro blog. Aquele negócinho q vc me perguntou encontrei lá. chama-se link within, ou coisa parecida...rs... beijo no ♥ pra vc e Milena. Vamos domingo?!

Lurdes da Silva Visintainer Pinheiro disse...

Oi, tem um carinho pra vc lá no meu blog, passe lá e leve-o com você.
Abraços carinhosos.
Lurdes